Mensagem que mandei ao cantor gospel Thalles Roberto, depois que se humilhou.

Lindo, maravilhoso. Thalles, vc é um gênio na música e com um ritmo e um estilo próprio que muitos seguiram, inclusive eu que não gostava do teu jeito, hoje toco e canto algumas das tuas canções. O povo brasileiro te ama, e nós cristãos sabemos que vc tens dom de Deus, mas foi num momento, em que vc deu um pouquinho de lugar pra carne, e é natural, vc é humano, e ninguém pode te julgar, que vc magoou muita gente, mas muitos oraram por ti e hoje estamos vendo você agir como um verdadeiro servo de Deus. Thalles, eu sou pequeninho, aqui de Santa Maria, RS, mas, como homem de Deus, te digo, e marque o dia e a hora desta postagem, pra depois testemunhar. A partir de hoje, o dia em que estou assistindo este videio, tua VIDA E TEU MINISTÉRIO VOLTA COM MAIS UNÇÃO, PODER, SALVAÇÃO DE JOVENS E VELHOS, COM UMA DIMENSÃO MUITO MAIOR DO QUE ANTES; SE PREPARE PARA GLORIFICAR O NOME SANTO DE JESUS, NO PODER DO ESPÍRITO SANTO. Se não for de Deus descarte, mas se é de Deus e quem sabe já é confirmação de outra mensagem, então se puder divulgue, e me mande um abraço que já é suficiente. Pois sei o que falo quando Deus me MANDA DIZER, RECEBA, EM NOME DE JESUS. Só mais uma palavra, querido irmão, pastor Thalles, vc perdeu a oportunidade de testemunhar realmente lá no programa do JÔ Soares, mas se tiver outra oportunidade e terás muitas, testemunhe de Jesus, glorifique só a Jesus, no poder do Espírito Santo, faça como Nelson Nedi fez, quando foi naquele programa, e verás a GLÓRIA DE DEUS. A Paz do Senhor.

Published in: on março 30, 2017 at 4:30 pm  Deixe um comentário  

Devemos orar e estar preparados, a igreja será tirada daqui e o anticristo entrará em ação.

Published in: on março 29, 2017 at 1:31 pm  Deixe um comentário  

Pré-Tribulacionismo, Pós-Tribulacionismo e Meso-Tribulacionismo

Pré-Tribulacionismo, Pós-Tribulacionismoa e Meso-Tribulacionismo são as diferentes posições acerca do Arrebatamento da Igreja, e dividem opiniões entre os cristãos, como praticamente todos os assuntos dentro da Escatologia Bíblica.

Neste texto, veremos resumidamente cada uma destas visões, porém o mais importante nessa discussão é que Cristo voltará, e sobre isto, as três interpretações concordam, embora discordem da cronologia do evento.

Pré-Tribulacionismo

Essa visão defende que a volta de Cristo se divide em duas etapas: secretamente para buscar a Igreja, e em glória, sendo visível a todos após o período de grande tribulação. É por conta desse arrebatamento secreto que essa posição é chamada de Pré-Tribulacionismo.

O Pré-Tribulacionismo está diretamente ligado ao Dispensacionalismo Clássico, e ao método futurista e literal de interpretação do Apocalipse, embora nem todos que adotam o método futurista são Dispensacionalistas Clássicos. Existem muitos futuristas que são Pré-Milenistas Pós-Tribulacionistas.

No Pré-Tribulacionismo, geralmente existe uma completa distinção entre a Igreja e Israel. Os pré-tribulacionistas dizem que, basicamente, Jesus veio para os judeus, porém os judeus O rejeitaram, e, então, ele suspendeu temporariamente seus planos para Israel, e é aí que aparece a Igreja, como uma espécie de “parêntese” na história.

Portanto, como existe um plano especial para Israel, a Igreja será tirada da terra antes da grande tribulação, que será um período onde a ira de Deus será derramada sobre os ímpios que ficaram na terra, e também um momento especifico no tratamento de Deus com Israel.

No Pré-Tribulacionismo, como existe essa distinção entre os dois povos, e a Igreja não tem nada a ver com o tratado de Deus a respeito de Israel, então ela não poderá estar na terra nesse momento. Esse período de grande tribulação durará sete anos, considerando uma abordagem das setenta semanas de Daniel (Dn 9) e um esquema de leitura do livro do Apocalipse (principalmente o capítulo 13), que no caso seria propriamente a septuagésima semana.

Os textos mais utilizados para defender o arrebatamento pré-tribulacionista são: Romanos 8:1, 1 Coríntios 15:51, 1 Tessalonicenses 1:10; 4:17;5:9 e Apocalipse 3:10. Outro argumento muito usado é que, após o capítulo 3, a palavra “Igreja” não é mais encontrada no livro de Apocalipse até aparecer novamente no final do livro. Dentro dessa linha de interpretação, durante o período de grande tribulação a Igreja estará no céu participando das Bodas do Cordeiro.

Meso-Tribulacionismo

O Meso-Tribulacionismo defende que a Igreja será arrebatada no meio da grande tribulação. Sendo a tribulação um período de sete anos, então haverá três anos e meio de paz e três anos e meio de muita dificuldade. Esse sistema tem muita similaridade com o Pré-Tribulacionismo, porém se difere na ideia de que o arrebatamento ocorrerá quando os três anos e meio de paz terminarem. Existem meso-tribulacionistas que defendem que a grande tribulação não terá necessariamente sete anos de duração.

A principal defesa do Meso-Tribulacionismo é uma cronologia dada em 2 Tessalonicenses 2:1-3, onde o Anticristo parece ser revelado antes do arrebatamento da Igreja, além de uma combinação entre a trombeta de 1 Coríntios 15:52 com a trombeta de Apocalipse 11:15.

Pós-Tribulacionismo

O Pós-Tribulacionismo defende que o arrebatamento e a segunda vinda de Cristo tratam-se de um único evento, e que ocorrerá após o período de grande tribulação. Nessa interpretação, a Igreja passará pela grande tribulação, que não precisa ser necessariamente um período de sete anos. Dentro do Pós-Tribulacionismo existem Amilenistas, Pós-Milenistas e Pré-Milenistas que defendem tal posição.

Os principais argumentos pós-tribulacionistas se baseiam em:

  • Jesus em Seu Sermão Escatológico nos Evangelhos de Mateus (24), Marcos (13) e Lucas (21), deixou claro que só voltaria após o período de grande tribulação;
  • Em 2 Tessalonicenses 2:3, o Apóstolo Paulo afirma que antes de Cristo voltar o Anticristo se manifestará;
  • 2 Pedro 3, o apóstolo Pedro também descreve a vinda de Cristo como um evento único;
  • No livro do Apocalipse em nenhum momento é mencionado duas fases da volta de Jesus, e quando a segunda vinda é descrita, ela ocorre após o período de tribulação.

    O importante é saber que Jesus disse que voltaria, Jo 14.1-3, At 1.9-11. Mas eu diria como falou certo pregador, mestre nas Escrituras: É melhor esperarmos a grande tribulação, mas sermos surpreendidos pelo ARREBATAMENTO, do que esperarmos o arrebatamento e sermos surpreendidos pela G. tribulação. Logo, é bom estarmos sempre preparados, vigiando, com a vida na presença do Senhor; em paz com todos e com a vida em santificação. Desta maneira, jamais ficaremos para trás quando Jesus vier, aleluia, maranata.

Published in: on março 23, 2017 at 12:49 pm  Deixe um comentário  

Atos dos Apóstolos: O início da igreja de Jesus Cristo

No livro de Atos dos Apóstolos encontramos uma narrativa de como foi o início da igreja de Jesus Cristo aqui na terra, o exemplo deixado pelos apóstolos e um padrão permanente para a igreja.

Quem quiser seguir a Cristo deve levar em conta os exemplos dos apóstolos vistos neste livro. Exemplos de santidade, ousadia, sofrimento, oração, fraternidade e união.

As principais características da igreja primitiva, narrada no livro de Atos dos Apóstolos são:

  • As últimas instruções de Jesus e a ordenança de evangelizar as nações;
  • A igreja estava constantemente em oração;
  • A igreja supria os necessitados;
  • Curas e maravilhas eram realizadas pelos apóstolos, dando sequência ao que Jesus tinha feito;
  • Diversas citações de batismo com o Espírito Santo;
  • Grandes pregações e muitas conversões;
  • Os primeiros mártires: Estevão apedrejado; Tiago teve a cabeça cortada;
  • Prisões e sofrimento fizeram parte da vida dos apóstolos;
  • Grande expansão missionária da igreja;
  • A ação do Espírito Santo em favor da igreja.

Com a leitura do livro de Atos dos Apóstolos devemos compreender que servir a Deus está acima de todas as coisas e mesmo em meio às dificuldades e sofrimentos é necessário mantermos o padrão bíblico de obediência a Deus.

Fazendo uma comparação da igreja primitiva com o cristianismo atual, iremos encontrar diferenças discrepantes. Veja algumas coisas que ocorre na igreja atual e não encontramos em Atos dos Apóstolos.

  • Muitas pessoas têm procurado as igrejas evangélicas para obter benefícios materiais apenas e esquecem-se do que é de fato a igreja;
  • A igreja tem sido usada por muitos apenas para “cobrar” bênçãos de Deus;
  • O relativismo é tolerado como normal por muitos. A idéia de pecado passa ser algo muito vago, “depende”;
  • A mensagem pregada é mista, ora Jesus, ora Maria, ora algum teólogo famoso. Sobre isto Paulo escreveu aos Coríntios:

Quero dizer, com isso, que cada um de vós diz: Eu sou de Paulo, e eu, de Apolo, e eu, de Cefas, e eu, de Cristo.

Está Cristo dividido? Foi Paulo crucificado por vós? Ou fostes vós batizados em nome de Paulo?
(1 Co 1.12,13)

Ora, se foi Jesus que morreu por nós, então nosso compromisso e esperança está em Jesus.

A igreja de Jesus Cristo iniciou sofrendo muitas perseguições. Os apóstolos foram presos, alguns apedrejados, outros mortos e tudo isto porque eles davam testemunho de Jesus Cristo.

Eles pregavam era que Jesus havia ressuscitado, subido ao céu e que voltaria. Pregavam que era necessário o arrependimento dos pecados e entregar a vida a Jesus Cristo para obter a salvação.

A mensagem que Paulo, Pedro, Estevão, João, Tiago e outros pregavam naquela época continua valendo para os nossos dias. Ela não caducou, pelo contrário, continua viva e atual para a igreja contemporânea.

Leia o livro de Atos dos Apóstolos e compare como era a igreja primitiva e como é a sua igreja. Será que dá para fazer uma comparação? A mensagem que eles pregavam está sendo pregada na sua igreja? Você como cristão tem encarado o Reino de Deus com a mesma seriedade que os irmãos da igreja primitiva encararam?

Leia a Bíblia. A Bíblia é a palavra de Deus e contém todo o ensinamento que o homem precisa para alcançar a vida eterna.

De: evangelisação.blog.br

Published in: on março 19, 2017 at 8:10 pm  Deixe um comentário  

Primeiros três séculos da Igreja: perseguições e triunfos

Com a historia da igreja nós aprendemos a nos portarmos de maneira coerente à nossa fé. Na medida em que os anos foram-se passando, depois de sua inauguração no Pentecostes, a Igreja seguiu avançando dentro do Império Romano, crescendo a cada dia, pois o testemunho de fé aliado aos milagres que os descrentes vinham acontecer através da vida dos seguidores do Cristo Ressurreto acabava se tornando isca perfeita. A Igreja, nos primórdios, se alastrava somente entre as classes mais baixas, o que fazia com que artesãos, pequenos negociantes, proprietários de pequenas terras, passassem a pertencer à religião da revolução moral. Mas, como Jesus mesmo disse, que é impossível se ascender uma candeia e ocultá-la na escuridão, a Igreja foi brilhando, brilhando, a ponto de conquistar membros também entre as classes mais elevadas; soldados, pessoas próximas aos governantes e muitos outros tipos de gente se iam achegando ao evangelho.

 Pelo fato de a Igreja seguir o Supremo Salvador, isso ia contra aquilo no que acreditavam os romanos, de que o estado era a suprema força e a religião era uma espécie de patriotismo. Por isso, os governantes consideravam os cristãos como anarquistas, uma gente que colocava em risco a hegemonia romana. A partir de Nero (54-68), os cristãos passaram a ser perseguidos e tinham a fé posta à prova pelo estado, que prendiam-lhes e os obrigavam a prestar adoração à estátua do imperador e a participar de cultos pagãos.

A igreja passou a receber maior oposição, quando os romanos perceberam que, apesar das perseguições, o número de cristãos só aumentava, e ainda, os cultos, principalmente a Santa Ceia, eram realizados com portas fechas. Até a primeira parte do III século os ataques aos cristãos eram de caráter local. Depois de experimentar um sossego por certo período de tempo, as perseguições – e de maneira ferrenha– tiveram início no governo de Décio e de mais dois sucessores (250-260), que se propuseram a fazer de tudo para exterminar o Cristianismo do Império.


Nesse período, muitos foram martirizados, e muitos abandonaram a fé. O imperador Galiano, interrompeu a perseguição e deu inicio ao longo período chamado de “Pax Longa” (260-303). Em 331, com o Édito de Tolerância, que foi publicado por Galério.  Dois anos depois, o Édito de Milão, de Constantino e Licínio, imperadores do ocidente e oriente, estabeleceu a liberdade religiosa para todos, quando, de fato, os cristão deixaram de ser perseguidos, pois até então, quem não adorava aos deuses antigos e não seguia as religiões reconhecidas pelo império, era considerado um traidor.

Os períodos de perseguição foram importantes para mostrar quem, de fato, era uma pessoa de fé, o que fazia com que os não crentes se inspirassem a crer através dos cruéis testemunhos deixados pelos mártires, pois os gregos já haviam legado, como foi dito no artigo anterior, o saber de que a alma é imortal, e os cristãos falavam de céu e de inferno no pós-morte.

Falar sobre o avanço da igreja, suas perseguições e vitorias em um breve artigo, não requer grande riqueza de detalhes, apenas o suficiente para transmitir aos leitores, que ao longo dos séculos e milênios, a palavra de Jesus de que “as portas do inferno” jamais iriam “prevalecer contra a igreja”, podem ser testemunhadas pela história e também pela plena existência dela nos dias de hoje, como sendo palavras verdadeiras.

 Com a historia da igreja nós aprendemos a nos portarmos de maneira coerente à nossa fé, em respeito a Deus e à aqueles que deram suas vidas pelo que criam, pois Deus trabalhou para a continuidade da Igreja pelos meios mais –ao ver humano– descabidos, mas que evidenciaram a grande verdade de que se somos de Cristo o mundo nos odiará, sempre, pois nossa cultura é de Santidade e não de pecado. No próximo artigo iremos falar um pouco sobre como passou a ser a vida da igreja a partir no período de que vai de vai de 313 a 590 d.C.

Como base para escrita dos artigos, estamos usando o livro “The Growth of the Cristian Church” (“História da Igreja Cristã” – (1997), escrito por Roberto Hastins Nichols, e publicado pela Editora Cultura Cristã.

Published in: on março 19, 2017 at 7:42 pm  Deixe um comentário  

Vídeo sobre a vinda de Cristo

Published in: on março 19, 2017 at 2:39 am  Deixe um comentário  

TEOLOGIA DA PROSPERIDADE: ARMADILHA DE SATANÁS PARA A IGREJA, ÀS VÉSPERAS DO ARREBATAMENTO

Nos dias de hoje, às vésperas do Arrebatamento, muitos líderes cristãos pregam que o cristão deve perseguir o objetivo de ser próspero. Dizem que Deus quer um servo próspero e, quase nunca falam de outro assunto que não seja prosperidade. Em seus cultos e em seus programas, sempre é falada a palavra “prosperidade”: focam seus cultos quase sempre em temas como dízimos, pedindo e inventando inúmeras ofertas para extrair mais e mais dinheiro do povo, iludindo-o para que creia no engano de que a prosperidade e as riquezas materiais serão obtidas através da entrega dessas ofertas. Por outro lado, quase nunca tratam do Arrebatamento da Noiva do Cordeiro. Por que será?

Porque, na verdade, esses cristãos não estão sendo preparados para o arrebatamento, mas para a ira de Deus a ser derramada na Tribulação. Desta forma, Satanás os mantém desinformados do que realmente interessa, deixando-os distraídos com seus enganos e armadilhas.

 I – OS TEMPOS DE DEUS PARA O HOMEM

Seria Deus contrário à prosperidade?

A Bíblia responde: “Tudo tem o seu tempo determinado” (Eclesiastes 3:1).

Não somente no tocante ao tema prosperidade, mas no que se refere a diversos outros pontos, uma boa parte dos cristãos se encontra despercebida. E tudo por não terem entendido, na Bíblia, o tempo de Deus para o homem.

Nas Escrituras, de Gênesis a Apocalipse, são mencionados basicamente dois tempos distintos de Deus para o homem: o primeiro tempo se refere ao período de vida do homem na Terra; e o segundo tempo se refere à Eternidade.

 I.1 – O TESTEMUNHO DE YESHUA (JESUS EM HEBRAICO)

Eis o testemunho de Yeshua:

  1. No primeiro tempo, em quanto estava na Terra, Yeshua “não tinha parecer nem formosura; e, olhando nós para ele, nenhuma beleza víamos, para que o desejássemos. Era desprezado e o mais indigno entre os homens, homem de dores, experimentado nos trabalhos e, como um de quem os homens escondiam o rosto, era desprezado, e não fizemos dele caso algum” (Isaías 53:2-3);
  2. No segundo tempo, na eternidade, Yeshua já se apresenta conforme descrito por João, ou seja, “vestido até aos pés de uma veste comprida e cingido no peito com um cinto de ouro. E a sua cabeça e cabelos eram brancos como lã branca, como a neve, e os olhos, como chama de fogo; e os seus pés, semelhantes a latão reluzente, como se tivesse sido refinado numa fornalha; e a voz, como a voz de muitas águas” (Apocalipse 1:13-15);

As Escrituras têm revelado que, a prosperidade nesta vida presente – que é o primeiro tempo para Deus – sempre significou um grande perigo que, não raro, fazia (e faz) com que as pessoas, que a obtivessem (e a obtém), tivessem (e tenham) tendência para cometer pecados considerados graves por Deus, tais como a soberba e a idolatria.

Foi exatamente isto que desencadeou a derrocada do povo de Israel após sair do Egito. Vendo o povo que Moisés demorava no Monte Sinai, fez um bezerro de ouro, exatamente com a expressão de sua prosperidade (seus pendentes e joias), e passaram a adorá-lo (Êxodo 32:3-4). Adoravam, na verdade, o ouro de suas joias, chegando mesmo à auto-idolatria, pois adoravam a si mesmos nas suas joias transformadas naquele bezerro. Os pendentes – que lhes tornavam o bezerro adorável -, em seu íntimo, lhes eram mais preciosos do que o próprio Senhor que os libertara do jugo do Egito.

 

I.2 – O TESTEMUNHO DE SATANÁS

 

Vejamos agora o testemunho de Satanás. Ao contrário dos homens, Satanás teve seu primeiro tempo no céu e o segundo, na Terra (e no inferno):

  1. No primeiro tempo, no céu, Satanás era um querubim ungido: “Tu eras querubim ungido para proteger, e te estabeleci; no monte santo de Deus estavas, no meio das pedras afogueadas andavas. Perfeito eras nos teus caminhos” (Ezequiel 28:14-15);
  2. No segundo tempo, Satanás foi lançado por terra, perdendo seu resplendor para sempre: “Elevou-se o seu coração por causa da tua formosura, corrompeste a tua sabedoria por causa do teu resplendor; por terra te lancei…em grande espanto te tornaste e nunca mais serás para sempre” (Ezequiel 28:17,19)

Ora, se a soberba decorrente de seu resplendor elevou o coração de um querubim ungido, fazendo-o cair (Ezequiel 28:14,17), quanto mais uma pessoa que se entrega às vaidades decorrentes da prosperidade –adotando os mesmos costumes de auto-exaltação que o outrora querubim ungido adotou – sucumbirá da mesma forma.

O plano de Satanás é velho: exaltar o ser humano através da prosperidade pelo dinheiro e por meio da formosura, preparando os seus, nesta Terra, para depois colhê-los, para as trevas eternas.

E o pior é que, ainda assim, algumas pessoas podem querer argumentar que seriam mais fortes que o próprio querubim ungido antes da queda e, portanto, não teriam de temer ter seus corações elevados em face de sua prosperidade ou formosura. Infelizmente, não conhecem a Bíblia, pois esta revela que os anjos são maiores do que o homem em força e poder (II Pedro 2:11). Assim sendo, após esta vida, quando for tarde demais, vão constatar o que já havia sido revelado: não eram mais fortes que aquele anjo antes da queda e que, de igual modo, foram traídas pela soberba.

 

II – O PERIGO DAS RIQUEZAS DE ACORDO COM AS ESCRITURAS SAGRADAS

 

Não foi por outro motivo que tanto Yeshua como os escritores das epístolas no Novo Testamento foram de uma só voz quanto ao perigo das riquezas e suas consequências devastadoras. Eis o que foi dito por Yeshua e os escritores das epístolas:

 

YESHUA

24 Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de odiar a um e amar o outro, ou há de dedicar-se a um e desprezar o outro. Não podeis servir a Deus e às riquezas.

(Yeshua em Mateus 6:24)

23 Então Jesus, olhando em redor, disse aos seus discípulos: Quão dificilmente entrarão no reino de Deus os que têm riquezas!

24 E os discípulos se maravilharam destas suas palavras; mas Jesus, tornando a falar, disse-lhes: Filhos, quão difícil é para os que confiam nas riquezas entrar no reino de Deus!

25 É mais fácil um camelo passar pelo fundo de uma agulha, do que entrar um rico no reino de Deus.

(Yeshua em Marcos 10:23-25)

7 E outra caiu no meio dos espinhos; e crescendo com ela os espinhos, sufocaram-na.

14 A parte que caiu entre os espinhos são os que ouviram e, indo seu caminho, são sufocados pelos cuidados, riquezas, e deleites desta vida e não dão fruto com perfeição.

(Yeshua, na parábola do semeador, comparando as riquezas com espinhos que sufocam a semente (a Palavra) em Lucas 8:7,14)

16 Propôs-lhes então uma parábola, dizendo: O campo de um homem rico produzira com abundância;

17 e ele arrazoava consigo, dizendo: Que farei? Pois não tenho onde recolher os meus frutos.

18 Disse então: Farei isto: derribarei os meus celeiros e edificarei outros maiores, e ali recolherei todos os meus cereais e os meus bens;

19 e direi à minha alma: Alma, tens em depósito muitos bens para muitos anos; descansa, come, bebe, regala-te.

20 Mas Deus lhe disse: Louco, esta noite te pedirão a tua alma; e o que tens preparado, para quem será?

(Yeshua, na parábola de Lucas 12:16-20)

 PAULO

9 Mas os que querem tornar-se ricos caem em tentação e em laço, e em muitas concupiscências loucas e nocivas, as quais submergem os homens na ruína e na perdição.

10 Porque o amor ao dinheiro é raiz de todos os males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé, e se traspassaram a si mesmos com muitas dores.

(Paulo em Carta a Timóteo em I Timóteo 6:9-10)

 TIAGO

1 Eia agora, vós ricos, chorai e pranteai, por causa das desgraças que vos sobrevirão.

2 As vossas riquezas estão apodrecidas, e as vossas vestes estão roídas pela traça.

3 O vosso ouro e a vossa prata estão enferrujados; e a sua ferrugem dará testemunho contra vós, e devorará as vossas carnes como fogo. Entesourastes para os últimos dias.

(Tiago em Tiago 5:1-3)

 PEDRO

1 Mas houve também entre o povo falsos profetas, como entre vós haverá falsos mestres, os quais introduzirão encobertamente heresias destruidoras, negando até o Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina destruição.

2 E muitos seguirão as suas dissoluções, e por causa deles será blasfemado o caminho da verdade;

3 também, movidos pela ganância, e com palavras fingidas, eles farão de vós negócio; a condenação dos quais já de largo tempo não tarda e a sua destruição não dormita.

14 tendo os olhos cheios de adultério e insaciáveis no pecar; engodando as almas inconstantes, tendo um coração exercitado na ganância, filhos de maldição;

15 os quais, deixando o caminho direito, desviaram-se, tendo seguido o caminho de Balaão, filho de Beor, que amou o prêmio da injustiça,

(Pedro se referindo aos falsos pastores como filhos da maldição, os quais fazem do povo de Deus negócio, por ganância, em II Pedro 2:1-3,14-15)

 

JUDAS (MEIO-IRMÃO DE YESHUA)

11 Ai deles! porque foram pelo caminho de Caim, e por amor do lucro se atiraram ao erro de Balaão, e pereceram na rebelião de Coré.

12 Estes são os escolhidos em vossos ágapes, quando se banqueteiam convosco, pastores que se apascentam a si mesmos sem temor; são nuvens sem água, levadas pelos ventos; são árvores sem folhas nem fruto, duas vezes mortas, desarraigadas;

13 ondas furiosas do mar, espumando as suas próprias torpezas, estrelas errantes, para as quais tem sido reservado para sempre o negrume das trevas.

    (Judas, meio-irmão de Yeshua, se referindo aos falsos pastores que por amor ao lucro se apascentam a si mesmos, em Judas 11-13)

 YESHUA NO APOCALIPSE

17 Porquanto dizes: Rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta; e não sabes que és um coitado, e miserável, e pobre, e cego, e nu;

18 aconselho-te que de mim compres ouro refinado no fogo, para que te enriqueças; e vestes brancas, para que te vistas, e não seja manifesta a vergonha da tua nudez; e colírio, a fim de ungires os teus olhos, para que vejas.

             (Yeshua em Corpo de Glória ditando para João a carta dirigida à igreja de Laodiceia em Apocalipse 3:17-18)

III – O PRINCÍPIO DOS DOIS TEMPOS DE DEUS PARA O HOMEM TAMBÉM É ENCONTRADO NAS DUAS ÚLTIMAS CARTAS DE APOCALIPSE 3: UMA DESTINADA AOS CRISTÃOS QUE SERÃO ARREBATADOS; E A OUTRA, AOS QUE FICARÃO PARA TRÁS.  

Em suas duas últimas cartas às igrejas no Livro do Apocalipse, Yeshua  escreveu:

  1. uma carta destinada aos cristãos em Filadélfia, na qual lhes assegurou que os mesmos serão guardados da “hora da tentação que há de vir sobre todo o mundo” (Tribulação), ou seja, lhes garantiu que serão arrebatados, pois terão guardado a Palavra de Deus (Apocalipse 3:10), ainda que tenham pouca força, ou seja, pouca prosperidade, poucos recursos materiais (Apocalipse 3:8);
  2. uma outra carta destinada aos cristãos em Laodicéia, os quais alegavam serem prósperos e de nada terem falta, tendo o Senhor lhes replicado que, na verdade, eram desgraçados e miseráveis (Apocalipse 3:17).

Assim, este princípio bíblico dos dois tempos de Deus para o homem é possível de ser encontrado em, praticamente, todas as Escrituras Sagradas, sendo que:

  1. enquanto o homem estiver na Terra, o conselho de Deus é sempre o mesmo: andar com simplicidade e modéstia, haja vista que a soberba e a luxúria acabam por se tornar laços terríveis, podendo levar, facilmente, a uma série de pecados que conduziriam ao mesmo fim de Satanás, o outrora querubim ungido, que caiu por causa de sua soberba e luxúria; e
  2. na Eternidade, a vontade do Eterno é que o homem venha a viver para sempre em sua presença, na Glória Celestial. A promessa para os que alcançarem esta vitória é de que serão exaltados, uma vez que, quando estiveram na Terra, não elevaram seu coração com as coisas deste mundo, tendo, portanto, no porvir, o privilégio de possuir o corpo glorificado conforme o de Yeshua e de compartilhar para sempre de sua presença (Filipenses 3:21).

 

IV – POR QUE A ÊNFASE NA PROSPERIDADE, HOJE, QUANDO TODOS DEVERIAM ESTAR SE PREPARANDO PARA O ENCONTRO COM O ESPOSO?

 

O relógio de Deus está muito acelerado, o momento decisivo para todos se aproxima. Eis o que Yeshua diz:“Igualmente, quando virdes todas estas coisas, sabei que Ele está próximo, às portas.” (Mateus 24:33)

Mas, muitos cristãos estão sendo distraídos com mensagens e sermões que focam quase que exclusivamente no engano de que a prosperidade material e a obtenção de bens materiais se dará através da entrega de dízimos e inúmeras ofertas que são criativamente inventadas por líderes inescrupulosos sem nenhum respaldo na Bíblia, sendo, assim, conduzidos por seus líderes a pensarem como o mundo pensa e a focarem nas coisas materiais deste mundo, deixando de lado o principal, Yeshua, este sim o Verdadeiro Tesouro escondido no campo (Mateus 13:44) e a Verdadeira Pérola de grande valor (Mateus 13:46).

Caso esses cristãos não voltem todas suas forças para se prepararem para o Arrebatamento ao encontro de Yeshua (I Tessalonicenses 4:16-17), provando seu amor ao Eterno guardando seus mandamentos (João 14:21 e Apocalipse 3:10), correm sério risco de, não sendo levados com a Noiva do Cordeiro, ficarem nesta Terra sob o juízo do Anticristo. Perceberão tarde demais que seguiam valores totalmente contrários às Escrituras, considerando o Evangelho como se este fosse um manual para se obter riquezas materiais, quando, na verdade, a Palavra dispõe exatamente o contrário quando afirma categoricamente que não se pode servir às riquezas e ao Eterno ao mesmo tempo.

Se não houver mudança urgente de conduta, as lamentações destes serão maiores que as constantes no livro Lamentações de Jeremias. Pois já se vê no horizonte o tempo de maior angústia e tribulação desde a fundação do mundo, o qual não terá outro igual, segundo o próprio Yeshua: “Porque haverá então grande aflição, como nunca houve desde o princípio do mundo até agora, nem tampouco há de haver.” (Mateus 24:21).

Na contramão da Palavra Profética, a ênfase de muitos cristãos tem sido posta na prosperidade, em como ser bem-sucedido financeiramente. Líderes se voltam somente para a oferta e para o ouro, desprezando as coisas santas do Eterno, adotando as mesmas abominações praticadas pelos fariseus e escribas, as quais foram severamente denunciadas por Yeshua:

“Ai de vós [escribas e fariseus], condutores cegos! pois que dizeis: Qualquer que jurar pelo templo, isso nada é; mas o que jurar pelo ouro do templo, esse é devedor.

Insensatos e cegos! Pois qual é maior: o ouro, ou o templo, que santifica o ouro?

E aquele que jurar pelo altar isso nada é; mas aquele que jurar pela oferta que está sobre o altar, esse é devedor.

Insensatos e cegos! Pois qual é maior: a oferta, ou o altar, que santifica a oferta?

Portanto, o que jurar pelo altar, jura por ele e por tudo o que sobre ele está;

E, o que jurar pelo templo, jura por ele e por aquele que nele habita;

E, o que jurar pelo céu, jura pelo trono de Deus e por aquele que está assentado nele.” (Mateus 23:16-22)

Não há dúvidas de que a igreja anticristã está em franco processo de formação e consolidação nos dias de hoje, sendo a sua face mais visível a das igrejas que pregam a Teologia da Prosperidade. Esta é igreja de Laodicéia (Apocalipse 3:14-22), a qual se considerava rica e de que nada tinha falta, tendo sido, entretanto, severamente advertida pelo Messias de que, devido à sua ambiguidade em querer ser de Deus e do mundo, seria vomitada da boca do Senhor, pois esse ensino voltado para o materialismo deste mundo com rótulo de cristianismo causa náuseas no Altíssimo:

“E ao anjo da igreja de Laodicéia escreve: Isto diz o Amém, a testemunha fiel e verdadeira, o princípio da criação de Deus:

Conheço as tuas obras, que nem és frio nem quente; quem dera foras frio ou quente!

Assim, porque és morno, e não és frio nem quente, vomitar-te-ei da minha boca.

Como dizes: Rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta; e não sabes que és um desgraçado, e miserável, e pobre, e cego, e nu;

Aconselho-te que de mim compres ouro provado no fogo, para que te enriqueças; e roupas brancas, para que te vistas, e não apareça a vergonha da tua nudez; e que unjas os teus olhos com colírio, para que vejas.” (Apocalipse 3:14-18)

Tais líderes da Teologia da Prosperidade se encontram tão cegos que não conseguem enxergar o óbvio das Escrituras: Quem não for arrebatado somente poderá manter seus bens se receber a marca do Anticristo, porque os atos de comprar e vender bens dependerá do pagamento de impostos, o que só será possível para aquele que tiver a marca da besta durante a Tribulação:

“E faz que a todos, pequenos e grandes, ricos e pobres, livres e servos, lhes seja posto um sinal na sua mão direita, ou nas suas testas,

Para que ninguém possa comprar ou vender, senão aquele que tiver o sinal, ou o nome da besta, ou o número do seu nome.

Aqui há sabedoria. Aquele que tem entendimento, calcule o número da besta; porque é o número de um homem, e o seu número é seiscentos e sessenta e seis.” (Apocalipse 13:16-18)

Em contrapartida, aquele que receber a marca da besta, que será obrigatória na Tribulação, sofrerá uma série de consequências:

  1. perderá sua salvação pois o texto das Escrituras revela categoricamente que quem receber a marca da besta será atormentado para todo o sempre: “E seguiu-os o terceiro anjo, dizendo com grande voz: Se alguém adorar a besta, e a sua imagem, e receber o sinal na sua testa, ou na sua mão, também este beberá do vinho da ira de Deus, que se deitou, não misturado, no cálice da sua ira; e será atormentado com fogo e enxofre diante dos santos anjos e diante do Cordeiro. E a fumaça do seu tormento sobe para todo o sempre; e não têm repouso nem de dia nem de noite os que adoram a besta e a sua imagem, e aquele que receber o sinal do seu nome.” (Apocalipse 14:9-11);
  2. será terrivelmente afligido pelas taças da ira do Deus Todo-Poderoso, na segunda metade da Tribulação conforme descrito em Apocalipse capítulo 16: “E foi o primeiro anjo, e derramou a sua taça da ira de Deus sobre a terra, e fez-se uma chaga má e maligna nos homens que tinham o sinal da besta e que adoravam a sua imagem E o quinto anjo derramou a sua taça sobre o trono da besta, e o seu reino se fez tenebroso; e eles mordiam as suas línguas de dor.” (Apocalipse 16:2,10);
  3. será morto, ao final da Tribulação, por Yeshua: “E vi a besta, e os reis da terra, e os seus exércitos reunidos, para fazerem guerra àquele que estava assentado sobre o cavalo, e ao seu exército. E a besta foi presa, e com ela o falso profeta, que diante dela fizera os sinais, com que enganou os que receberam o sinal da besta, e adoraram a sua imagem. Estes dois foram lançados vivos no lago de fogo que arde com enxofre. E os demais foram mortos com a espada que saía da boca do que estava assentado sobre o cavalo, e todas as aves se fartaram das suas carnes.” (Apocalipse 19:19-21);
  4. será, em seguida, lançado no inferno: E a fumaça do seu tormento sobe para todo o sempre; e não têm repouso nem de dia nem de noite os que adoram a besta e a sua imagem, e aquele que receber o sinal do seu nome.” (Apocalipse 14:11); e
  5. após o milênio, será transferido do inferno para o lago de fogo, onde passará toda a eternidade: “E deu o mar os mortos que nele havia; e a morte e o inferno deram os mortos que neles havia; e foram julgados cada um segundo as suas obras. E a morte e o inferno foram lançados no lago de fogo. Esta é a segunda morte. E aquele que não foi achado escrito no livro da vida foi lançado no lago de fogo.” (Apocalipse 20:13-15).

Este será o fim de todos aqueles que seguem a Teologia da Prosperidade, os quais colocam sua esperança nas coisas desta vida. Estes ficarão para a Tribulação para serem testados em relação a seus corações continuarem ou não focados nos bens materiais.

Em resumo: se não for arrebatado e aceitar a marca, ainda que pense que vai desfrutar daquele bem adquirido, certo é que com ele não ficará, e ainda será morto por Yeshua e condenado ao fogo eterno.

 

V – AO FINAL DA TRIBULAÇÃO, A QUEM PERTENCERÃO AS RIQUEZAS DESTE MUNDO?

 

De acordo com as Escrituras, este será o caminho das riquezas deste mundo, nestes tempos finais:

  1. Após o Arrebatamento, as riquezas irão, gradativamente, para o Anticristo e seu grupo: “Com o auxílio de um deus estranho, [o Anticristo] agirá contra as poderosas fortalezas; aos que o reconhecerem multiplicará a honra, e os fará reinar sobre muitos, e repartirá a terra por preço.” (Daniel 11:39);
  2. Na metade dos sete anos de Tribulação, as riquezas deste mundo já estarão concentradas nas mãos do grupo do Anticristo (que terá conhecimento de todas as informações sobre as posses de cada um que aceitar a marca da besta, através dos dados pessoais contidos no biochip a ser introduzido naqueles que aceitarem esta marca): “E faz que a todos, pequenos e grandes, ricos e pobres, livres e servos, lhes seja posto um sinal na sua mão direita, ou nas suas testas, para que ninguém possa comprar ou vender, senão aquele que tiver o sinal, ou o nome da besta, ou o número do seu nome.” (Apocalipse 13:16-17)
  3. Ainda na metade dos sete anos de Tribulação, para se certificarem que terão conhecimento das posses de todos os habitantes da Terra, o Anticristo e seu grupo ordenarão que sejam mortos todos aqueles que rejeitarem o biochip, a marca da besta: “E foi-lhe concedido que desse espírito à imagem da besta, para que também a imagem da besta falasse, e fizesse que fossem mortos todos os que não adorassem a imagem da besta.” (Apocalipse 13:15);
  4. Na segunda metade da Tribulação, as riquezas, que antes se consolidaram nas mãos do Anticristo e de seu grupo, vão passar a serem gradativamente minadas e destruídas pelo derramamento da ira do Eterno nos últimos 3 anos e meio da Tribulação. Observe que a quinta taça da ira é derramada no trono da besta, e obviamente sobre aquele que se assenta no trono da besta que é o próprio Anticristo, o qual não terá sossego na segunda metade da Tribulação, pois será seriamente golpeado pelos juízos do Eterno durante toda esta última etapa da Tribulação: E o quinto anjo derramou a sua taça sobre o trono da besta, e o seu reino se fez tenebroso; e eles mordiam as suas línguas de dor. E por causa das suas dores, e por causa das suas chagas, blasfemaram do Deus do céu; e não se arrependeram das suas obras.” (Apocalipse 16:10-11);
  5. Ao final da Tribulação, o Anticristo e todos os que receberem a marca serão aniquilados por Yeshua: “E então será revelado o iníquo, a quem o Senhor desfará pelo assopro da sua boca, e aniquilará pelo esplendor da sua vinda” (II Tessalonicenses 2:8). Neste momento, novamente, mudará todo o eixo de riquezas do mundo, pois, no Reino de Yeshua, que é eterno (Daniel 7:18), para aqueles que participarem do Arrebatamento da Noiva do Cordeiro e que com Ele voltarão (Apocalipse 19:14; Judas 1:14-15), estarão assegurados o Poder de Governar a Terra: E ao que vencer, e guardar até ao fim as minhas obras, eu lhe darei poder sobre as nações, e com vara de ferro as regerá; e serão quebradas como vasos de oleiro; como também recebi de meu Pai.” (Apocalipse 2:26-27), a partir do trono do Rei (Apocalipse 3:21), e o Poder de herdarem todas as coisas: Quem vencer, herdará todas as coisas; e eu serei seu Deus, e ele será meu filho.” (Apocalipse 21:7);
  6. Desta forma, a tão propalada prosperidade só será real e efetiva para os que forem Arrebatados, em primeiro lugar, e depois, para os Mártires salvos na Tribulação (aqueles que recusarem a marca da besta, os quais ressuscitarão ao final da Tribulação) (Apocalipse 20:4);
  7. Por outro lado, aquele que estiver distraído com a Teologia da Prosperidade corre sério risco de não ser arrebatado, pois, de acordo com o Messias, ninguém pode servir a dois senhores: “Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de odiar um e amar o outro, ou se dedicará a um e desprezará o outro. Não podeis servir a Deus e a Mamom (as riquezas)”. (Mateus 6:24);
  8. E ainda, depois do Arrebatamento, se alguém quiser garantir sua prosperidade através do recebimento da marca da besta, perceberá que, ao receber a marca da besta, terá sido enganado pelo Anticristo, o qual passará a ser efetivamente o dono dos bens de todos os marcados, sendo que os marcados ainda serão alvo da ira de Deus durante o restante da Tribulação conforme Apocalipse 16:2,10, sendo, for fim, aniquilados e lançados no inferno por Yeshua, ao final da Tribulação: “E seguiu-os o terceiro anjo, dizendo com grande voz: Se alguém adorar a besta, e a sua imagem, e receber o sinal na sua testa, ou na sua mão, também este beberá do vinho da ira de Deus, que se deitou, não misturado, no cálice da sua ira; e será atormentado com fogo e enxofre diante dos santos anjos e diante do Cordeiro. E a fumaça do seu tormento sobe para todo o sempre; e não têm repouso nem de dia nem de noite os que adoram a besta e a sua imagem, e aquele que receber o sinal do seu nome.” (Apocalipse 14:9-11);
  9. Com a vitória de Yeshua sobre o Anticristo e seus exércitos, ao final da Tribulação, todos os bens deste mundo passarão a pertencer ao seu único e verdadeiro dono: Yeshua;
  10. Além disso, Yeshua fará com que todos que forem arrebatados junto com a Noiva do Cordeiro herdem todas as coisas, inclusive todos os bens materiais deste mundo, os quais, no final, pertencerão, para sempre, àqueles que forem fiéis ao Eterno e não colocarem sua confiança nas riquezas desta vida: “Quem vencer, herdará todas as coisas; e eu serei seu Deus, e ele será meu filho.” (Apocalipse 21:7);

Amados, o caminho da verdadeira prosperidade não é o pregado pelos líderes da Teologia da Prosperidade, pois, conforme as Escrituras, todos os tesouros do mundo e fora do mundo serão todos depositados para o Senhor e seus arrebatados no final da Tribulação. Assim sendo, o caminho da verdadeira prosperidade é o da humildade e da santificação: “Segui a paz com todos, e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor” (Hebreus 12:14), negando este mundo e suas ofertas (I João 2:15-17), mirando sempre na obediência incondicional à Palavra de Deus: “E, sendo Ele consumado, veio a ser a causa da eterna salvação para todos os que lhe obedecem (Hebreus 5:9), para, então, participar do Arrebatamento e, assim, ter assegurado o direito a todas as promessas registradas pelo Senhor nas Escrituras.

Ao contrário de tantos líderes que somente falam em prosperidade e dinheiro, Yeshua adverte em Mateus 6:19-21:

19 Não ajunteis para vós tesouros na terra; onde a traça e a ferrugem os consomem, e onde os ladrões minam e roubam;

20 mas ajuntai para vós tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem os consumem, e onde os ladrões não minam nem roubam.

21 Porque onde estiver o teu tesouro, aí estará também o teu coração.

 

Amados, a Teologia da Prosperidade que está sendo pregada em muitos templos não é o Evangelho de Yeshua HaMashiach (Jesus Cristo), O qual, como vimos, ensinou exatamente o contrário.

Esse “evangelho” que foca em uma espécie de negociação entre o cristão e Deus, na qual o cristão despeja dízimos e uma enxurrada de ofertas e contribuições na igreja para, em troca, receber prosperidade de Deus, é um grande engano. Esse evangelho enganoso não tem tempo para falar do Arrebatamento. Teologia da Prosperidade e Arrebatamento da Noiva são conceitos frontalmente conflitantes, pois ninguém pode servir a dois senhores: ou foca no mundo material de Mamom ou foca na eternidade com Yeshua. Não se consegue combinar Mamom com Yeshua. A igreja de Laodicéia tentou fazer esta combinação e foi advertida de que seria vomitada pelo Messias devido à sua mornidão (Apocalipse 3:14-18).

A Teologia da Prosperidade, na verdade, provoca uma desenfreada cegueira em seus seguidores, os quais, se não despertarem, acabarão perdendo o Arrebatamento, sendo deixados para trás, e ficarão sujeitos aos caprichos malignos do Anticristo e ainda, se receberem sua marca, serão condenados ao eterno sofrimento no inferno e no lago de fogo (Apocalipse 14:9-11).

Por outro lado, participar do Arrebatamento assegurará aos arrebatados a verdadeira prosperidade por toda a Eternidade, pois herdarão todas as coisas e governarão todas as nações deste mundo no Reino Eterno do Messias: E o reino, e o domínio, e a majestade dos reinos debaixo de todo o céu serão dados ao povo dos santos do Altíssimo; o seu reino será um reino eterno, e todos os domínios o servirão, e lhe obedecerão.” (Daniel 7:27)

Para quem for sábio, abandone já a Teologia da Prosperidade, confie nas Palavras de Yeshua, pois Ele bem sabe que no final:

“A riqueza do pecador [Anticristo e seus seguidores da Teologia da Prosperidade] é depositada para o justo [Yeshua e os que participarem do Arrebatamento da Noiva do Cordeiro]” (Provérbios 13:22).

Que Deus os abençoe.

www.oarrebatamento.net

Published in: on março 18, 2017 at 11:51 pm  Comments (1)